18 de agosto de 2016

Entrevista no site Expat.com

Essa semana foi publicada a entrevista que eu dei para o portal Expat.com, sobre minha experiência de morar em Hong Kong e algumas informações úteis para expatriados que desejam vir para cá. Infelizmente o artigo está todo em inglês, mas dá pra usar o google translator e entender quase tudo!

Clique aqui para ler a entrevista!

Apesar de que muitos dos assuntos dessa entrevista já foram mencionados aqui no blog, é sempre interessante poder refletir e repensar sobre as coisas boas e ruins de Hong Kong e dar dicas para quem quiser se aventurar nessas terras distantes.

O Expat.com é um portal que reúne expatriados do mundo inteiro, e você pode criar sua trajetório de lugares viajados, conhecer pessoas, promover eventos e saber tudo sobre o que está acontecendo na sua cidade! É uma mão na roda para pessoas que acabaram de se mudar e estão apenas começando suas aventuras internacionais!

Eu não concordo muito com o uso do termo 'expatriado', que pelo menos aqui em Hong Kong é sinônimo de estrangeiros que vieram para cá a trabalho, acompanhados de um belo salário e pacote de benefícios da empresa. Definitivamente não é o meu caso, snif snif. mas eu entendo que ser expatriado tem differentes significados dependendo de onde você está e de outros fatores... mas isso fica para outra hora!

14 de julho de 2016

Suando a camisa em Hong Kong - atualização PARTE 2

Oi gente!

Eu sei que muitos de vocês já estão cansados de ouvir minhas reclamações sobre a academia que eu frequento (é possível relembrar clicando aqui e aqui), mas eu não podia deixar de contar pra vocês o que aconteceu essa semana: a maldita da California Fitness entrou em falência! :(((

Pois é, já faz algumas semanas que estavam circulando boatos de que a rede de academias estava em maus lençóis, devendo salários, aluguéis e com problemas de fluxo de caixa. Daí uma dos centros que abriu há poucos meses fechou, os funcionários começaram a protestar e dito e feito: apesar de termos ido na academia normalmente na segunda-feira, no dia seguinte eu e o Martin resolvemos dar um pulinho lá na hora do almoço e as portas estavam fechadas. Grrrrrr!

Portas fechadas. Buáááááá..... (Fonte: South China Morning Post)

Ao contrário do Brasil, onde você pode pagar qualquer coisa em parcelas, cartão de crédito, boleto bancário e etc, em Hong Kong essa não é uma prática tão comum. Dificilmente as compras são parceladas, mesmo para produtos de valor alto. Para serviços, é normal pagar 100% adiantado. Afinal, em todos na maioria dos casos as empresas aqui costumam ser honestas e seguir que está no contrato.

... E foi isso o que nós fizemos. E nos demos mal. :( Nós usamos aproximadamente um terço dos meses que estavam no nosso contrato e agora estamos tentando negociar com o banco para ver se parte do valor pode ser devolvida. As últimas notícias dizem que outras academias estão interessadas em comprar o que sobrou da Califórnia Fitness, mas esses processos levam tempo. Claro, o valor que pagamos não era tão alto assim, afinal quando você paga adiantado o total é bem menor, mas mesmo assim, estou #xatiada!

- Você gostaria de ter uma consulta com nosso personal trainer, para começar?
- Não, com o seu contador. (Fonte; South China Morning Post)

O que nos resta é tentar ir a uma das outras academias (mas agora só sobraram as academias caras). Ou então, buscar alternativas mais em conta para nos exercitarmos, como ir nadar nas piscinas públicas ou talvez correr em espaços públicos, mas com esse calor de 35 graus que anda fazendo nos últimos dias, fica dificil.

Espero que toda essa história tenha um final feliz! Mas serve para mostrar que em Hong Kong também pagamos o pato! Quack quack quack...

30 de junho de 2016

Aprendendo a mergulhar!

Uma das atividades mais legais que você pode fazer nas Filipinas, e também em muitos outros países na Ásia é aprender a mergulhar! Com tantas praias absurdamente lindas, dá pra imaginar que as paisagens debaixo da água são igualmente impressionantes. E são mesmo!

Eu, como boa criança de cidade grande, nunca fui muito de ir à praia (brasileira que não vai à praia? Sacrilégio!). Eu adoro calor, ver as ondas quebrando na praia e me refrescar na água do mar, mas eu nunca tive muita paciência em torrar no sol para pegar um bronze ou ficar na areia “vendo gente”, como diz a minha mãe, haha!

Enfim, foi só depois de vir para Hong Kong que ir à praia passou a ser o programa de quase todo final de semana durante o verão (quando o sol resolve dar as caras). E depois de conhecer as praias de Hong Kong e as belas praias da Tailândia, Filipinas e Malásia, como já contei aqui, resolvemos subir de nível em relação ao bom e velho snorkel e nos inscrevemos no curso de mergulho.

Fazendo snorkel dificilmente você vai ver uma tartaruga...

Eu digo “nós” entre aspas, porque no começo eu não tinha a mí-ni-ma vontade de fazer o curso. Além de ser um pouco caro, tem que fazer aula teórica, tem que aprender tudo em detalhe sobre todos os equipamentos... Que preguiça! Com o snorkel é só pular na água e acabou, você fica lá tranqüila vendo os peixinhos. Mas já tínhamos um grupo de amigos interessados e depois de muitos pedidos do Martin, lá fomos nós fazer o curso PADI Open Water Dive, que nos permite mergulhar a até 18 metros de profundidade.

Por onde começar?

O PADI é a maior organização mundial de treinamento e certificação de mergulhadores de todos os níveis (existem outras organizações, como a SSI, que oferecem o mesmo tipo de treinamento). O que eles fizeram foi basicamente desenvolver toda a metodologia de ensino de mergulho, para que este seja feito de maneira eficiente e segura, e ensinado da mesma forma em todos os centros de mergulho ao redor do mundo.

Por ser um esporte que pode trazer grandes riscos se praticado da maneira errada, faz muito sentido que todos os instrutores de mergulho sejam treinados de maneira uniforme e certificados por uma instituição confiável. Ou seja, não basta apenas pegar um barco, abraçar um tanque de oxigênio e pular na água! Existem várias regras e procedimentos que devem ser seguidos quando você mergulha para que a sua experiência debaixo d’água seja agradável e segura. É como aprender um idioma, que apesar de ser utilizado apenas debaixo d’água, é compreendido por todos os mergulhadores do mundo. J

Na hora de escolher um centro de mergulho para fazer o curso, a minha sugestão, sem dúvida alguma, é escolher um lugar com boa reputação. Minha sugestão é procurar no Tripadvisor, onde os próprios alunos fazem avaliações sobre as condições do centro, os instrutores, a qualidade do equipamentos, etc. Uma pesquisa rápida no Google também ajuda: se a escola de mergulho tiver um site atualizado significa que eles tem um mínimo de preocupação em passar informações  corretas aos futuros mergulhadores. Na hora de mergulhar, vá por qualidade e não por preço!

O curso

Nós decidimos por fazer o curso em Hong Kong mesmo, por ser mais conveniente. A gente já sabia que em Hong Kong as praias não são super paradisíacas, mas em compensação escolhemos um centro de mergulho de confiança e um instrutor que soube nos ensinar tudo com os mínimos detalhes.

Para obter o certificado de Open Water, que permite com que você mergulhe até 18 metros, é necessário fazer uma aula teórica com uma prova, além de um treinamento prático em águas confinadas (ou seja, em uma piscina) e quatro treinamentos no mar que já contam como mergulhos.

A parte teórica é bem tranqüila, e você tem a opção de ler um livro ou assistir ao DVD (super brega, estilo anos 90) onde ensinam os fundamentos básicos do mergulho e principais dicas de segurança. Nós tivemos uma aulinha, a prova, e já na semana seguinte fizemos o treinamento na piscina, onde o instrutor nos ensinou toda a parte de montar os equipamentos, os sinais de comunicação que você deve usar debaixo d’água e se acostumar com todos os aparatos, que por sinal são bem pesados. No começo parecia ser muita informação, mas acho que fui bem nessa parte e é sempre mais divertido fazer o curso com amigos.

Mergulhando na piscina!

O que pegou mesmo foi o treinamento no mar: uma coisa é treinar na piscina onde é raso e a água é limpa. Outra coisa completamente diferente é fazer isso onde o mar é fundo e movimentado, e você descobre que você não consegue enxergar um palmo na sua frente. Nessa hora você percebe que a sua única fonte do tão precioso oxigênio é apenas um tubinho conectado à sua boca...

Sim, amigos, foi nessa hora que eu entrei em pânico! Eu mal entrei na água e já voltei para a superfície com uma sensação horrível de não poder respirar e a opressão de ter, literalmente, um mar de água em cima de mim. Felizmente uma das minhas amigas também não se sentiu bem e também subiu. O instrutor pacientemente nos acalmou e pouco a pouco fomos submergindo até chegar ao fundo, que era de apenas 5 metros. O detalhe é que as águas do lugar onde estávamos era tão turva que nem dava pra ver a pessoa do meu lado.

Depois que todos estavam mais calmos, nós fizemos as ‘provinhas’ debaixo da água: tirar e colocar a máscara de mergulho, nadar em linha reta, se orientar com a ajuda de um compasso, e outros e pronto! Viramos mergulhadores! :) Como eu falei, em Hong Kong não tem muito para se ver, então não tivemos a chance de realmente explorar as profundezas do mar durante o curso. De qualquer maneira, é só manter a calma que o curso de Open Water pode ser uma experiência muito divertida!

Equipamentos prontos! - Durante o curso você aprende o nome de todos os equipamentos usados durante o mergulho!
Como parte dos materiais do curso, você recebe um livrinho, chamado de logbook, onde em cada página é possível registrar os dados do seu mergulho: duração, quantidade restante de ar no seu tanque de oxigênio, a temperatura da água e dá até pra colocar os peixes que você viu! No final tem um espaço para assinatura do instrutor e carimbo da escola de mergulho. Além de ser uma lembrança legal de suas aventuras no mundo subaquático, ele contém informações importantes para o instrutor de seus mergulhos futuros e para você melhorar seu desempenho a cada mergulho!

Mergulhar ou não mergulhar? Eis a questão.

Sendo muito sincera, eu demorei muito tempo e muitas tentativas antes de perder o medo de mergulhar. Mesmo tendo a chance de mergulhar em lugares lindos na Tailândia e nas Filipinas, foi só depois de fazer o curso avançado (onde posso mergulhar ate 30 metros de profundidade) é que eu realmente comecei a me sentir confortável mergulhando.

1, 2, 3... Vai!

Mesmo assim, eu recomendo o mergulho como uma das atividades imperdíveis para se fazer na Ásia. Se você já é mergulhador experiente, beleza! Mas se você resolver aproveitar seu tempo na região para fazer o curso, pode deixar que é super tranqüilo, e cada pessoa acaba aprendendo os truques para acabar com a ansiedade ou outras preocupações de quem está mergulhando pela primeira vez!

Eu fiz o curso de mergulho em 2014, já faz um tempinho. Mas, como vocês vão ver, principalmente em minhas viagens nas Filipinas, o mergulho é umas das atividades mais divertidas para se fazer, além de ter um precinho bem acessível! Se alguém tiver dúvidas ou quiser dicas sobre onde mergulhar nas Filipinas, é só escrever nos comentários!